METRÔ



O vai vem dos transeuntes
Empurrões na catraca
A pressa de entrar antes que se fechem às portas
Aguardar antes da faixa amarela,
o que poucas pessoas fazem
Não se sentar nos bancos cinzas,
pois em breve terá que se levantar para ceder o lugar ao idoso.
O cuidado para não dobrar o bilhete
O barulho ensurdecedor
E mais um túnel
O vendedor ambulante
A mulher que varre os vagões
E os olhos que se vislumbram
quando pela janela é possível ver a cidade iluminada pelo sol
Ou estrelada pelos néons que inundam as fachadas
Sobe e desce das escadas rolantes
Lê-se um bom livro
Observa as plataformas
Localiza-se no mapa
Sem se perder ou se atrasar
Como todos,
existe um intuito
E um lugar a chegar

2 comentários:

  [flor]

18 de janeiro de 2009 02:08

adoro o metrô. gosto de olhar o movimento das pessoas, de escrever no meu caderninho o que sinto e penso a respeito da vida, do cotidiano. gosto de ver pela janela a escuridão dos túneis.

o metrô é um dos meus lugares favoritos para criar! adoooro!

  Cláu A Adorno

10 de maio de 2009 17:17

Muito legal seu blog. Seus textos são muito bem elaborados. Parabéns! Sinto-me orgulhosa de você!

Bjs
Cláu Aquino

Postar um comentário